domingo, 19 de agosto de 2018

Náutico perde por 3x1 para o Bragantino na Série C



A invencibilidade de dez jogos do Náutico na Série C terminou no momento mais crítico da competição. A equipe foi derrotada por 3x1 para o Bragantino, no Nabi Abi Chedid, pelas quartas de final, e deixou a missão de retornar à Série B ainda mais complicada. Poderia ser pior, se Ortigoza não tivesse marcado o tento de honra. O jogo decisivo será no próximo domingo (26), Arena de Pernambuco. Mais de 20 mil ingressos já foram vendidos e toda a ajuda será fundamental para o Timbu não encerrar a temporada lamentando a permanência na terceira divisão. Uma vitória pernambucana por dois gols de diferença levará o duelo para as penalidades. Mais do que isso, classificação assegurada. Menos, a vaga será dos paulistas.

O jogo começou lá e cá. Erro lá, erro cá. No início, foi possível creditar a falta de ação ofensiva ao modo cauteloso dos dois times. Depois, essa desculpa não funcionou. Insistindo em ligação direta e com pouca criatividade, Bragantino e Náutico fizeram um confronto marcado pelo excesso de faltas.

Matheus Peixoto era o mais perigoso do Bragantino. O atacante foi o responsável por amarelar Camutanga e, minutos depois, levou a melhor novamente diante do defensor. Desta vez, não foi parado com falta e teve espaço para deixar Vitinho de frente para o gol. Com um chute seco no canto, o camisa 10 abriu o placar no Nabi Abi Chedid.

Mais um gol sairia antes do intervalo. Poderia ser do Náutico, mas os visitantes não souberam explorar o que fizeram de melhor na primeira fase, com a transição rápida e as jogadas pelas laterais. Em compensação, o Bragantino foi eficaz em sua arma nada secreta. O técnico Márcio Goiano avisou antes da partida: os paulistas eram muito fortes na bola aérea. Recado dado, mas que de nada adiantou. Chorão cobrou falta e Marquinhos cabeceou, fazendo 2x0.

Mal começou o segundo tempo e o Náutico novamente foi vítima da bola parada. Chorão, sempre ele, cobrou escanteio na medida e Fabiano cabeceou forte, fuzilando o gol de Bruno. Primeira vez que o time de Márcio Goiano sofria três gols no mesmo jogo.

Além da qualidade pelo alto, o Bragantino fez outra coisa que sabe de melhor: se fechar na defesa. Trouxe o Náutico para o seu campo e apostou nos contra-ataques para ampliar a já larga vantagem.

O Timbu, com Wallace e Lelê, se lançou ao ataque para diminuir o prejuízo. Na base do abafa, os alvirrubros trouxeram esperança para a torcida após Ortigoza, no bate-rebate do escanteio, fazer seu papel de artilheiro e balançar as redes. A reação, porém, parou por aí. Depois de dois meses e dez jogos sem perder, os pernambucanos tropeçaram. O futuro do clube será definido agora na Arena de Pernambuco.


Folha PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário