sábado, 30 de setembro de 2017

Náutico tenta iniciar sequência de triunfos na Série B


Folha PE

Roberto Fernandes tem um longo histórico no que diz respeito a salvar o Náutico de rebaixamentos - foi assim em 2007 e 2008 (na Série A) e 2010 (na Série B). A missão de evitar a queda do Timbu à Série C em 2017, contudo, é a mais complicada de todas. Mesmo assim, o comandante não joga a toalha. Hoje, diante do Boa Esporte, no Lacerdão, pela 27ª rodada da Segundona, o time tenta iniciar novamente uma sequência de triunfos para aumentar a lista de feitos do técnico e se livrar de um abismo que nenhum alvirrubro deseja voltar. 

“Essa é o maior desafio do Náutico e da minha carreira. Só esse ano foram três mudanças na direção de futebol. Cinco treinadores e dois elencos. É uma colcha de retalho. Um time formado na melhor das intenções, com bons jogadores, mas não com nomes certos para cada setor. É uma temporada que não é para esquecer porque precisamos aprender com os erros. Tenho certeza que não fui o primeiro treinador procurado, mas quem estava em outras situações declinou (do convite). Seguramente, nas quatro passagens que tive aqui, esse é o desafio mais complexo, quase à beira da loucura”, apontou. 

Roberto assumiu o Náutico após a saída de Beto Campos. Comandou o clube a partir da 19ª rodada, estreando com a vitória diante do Luverdense. Pegou a equipe em último lugar, com 11 pontos, e está atualmente na 19ª colocação, com 20. Em oito jogos, foram três vitórias e cinco derrotas. Um aproveitamento de 37,5%. 

O treinador não deu muitas pistas sobre como o Náutico será escalado para o jogo contra os mineiros. Uma alteração, porém, está confirmada: a volta de Aislan ao time titular. Com isso, Rafael Ribeiro deve ficar no banco. Feliphe Gabriel será mantido na zaga, já que Breno está lesionado. Na frente, Rafael Oliveira pode retornar ao ataque, com Dico e Iago. Nesse caso, Henrique Ávila, improvisado no meio-campo no jogo anterior, pode ficar na lateral esquerda, no lugar de Manoel, ou servir de opção para o segundo tempo. 

BOA ESPORTE

No meio da tabela, o Boa Esporte está entre os clubes que ora brigam pelo G4, ora temem uma queda para o Z4. Nessa gangorra, os mineiros querem, primeiramente, definir de vez a permanência na Segundona. Com 37 pontos, o time precisa de pelo menos mais oito para afastar o perigo da queda. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário