sábado, 29 de julho de 2017

Santa Cruz enfrenta o Paraná em confronto direto

Superesportes

O torcedor do Santa Cruz não deva olhar a tabela neste momento. São quatro pontos do G4. Situação que só aumenta a esperança da aproximação da zona de classificação à Série A, mas que, no fim das contas, tem sido motivo de irritação. Situação que virou rotina no clube. Por isso, o elenco coral deveria aprender a não pensar tanto na classificação. A ilusão de subir na tabela vem tirando o foco da equipe do que é mais importante neste momento. O time ainda não encontrou o equilíbrio entre os setores no campo, muito menos entre uma apresentação e outra. Uma mudança que deve começar neste sábado, às 16h30, contra o Paraná, em Curitiba, para que a virada de turno passe mais confiança na busca pelo acesso. 

Apesar de seguir invicto desde que Givanildo assumiu o elenco, o Tricolor ainda não encontrou a forma ideal de atuar ou até a escalação ideal. Para que isso aconteça, existem várias justificativas, que estão na ponta da língua do técnico coral em quase todas as entrevistas coletivas. Lesões, suspensões e falta de atletas no raso elenco são as principais. Ao menos essa semana, o treinador teve mais tempo para trabalhar com a equipe, pode fazer dois coletivos e deu sinais que mudará o time. 

Um dos atletas que entrará na equipe é o meia Léo Lima. De volta ao time titular após um mês, ele sabe que é preciso regularidade para chegar no G4 e não sair mais. “A gente já esteve lá, saiu, estivemos perto. Agora é a hora de encostar e, quando entrar o G4, não sair mais. Não podemos nos dar o luxo de entrar e sair. Temos que estar lá dentro”, afirmou.

O discurso consciente sobre a situação do clube na tabela não foi apenas do meio. O volante Derley reconheceu que o time já teve chances de entrar no G4 e não adianta chegar perto ou entrar se não for para ficar de vez. “A gente tem a consciência que poderíamos ficar a um ponto do G4 na última rodada. Tivemos condições reais e o professor Givanildo veio para cá por isso. Ele sabe que temos condições de brigar por esse acesso. O difícil não é chegar no G4, é se manter. A briga vai ser maior ainda. Vamos entrar no G4 no momento certo”, comentou.

Equipe modificada
Para que essa ilusão se torne realidade e o Santa Cruz seja mais regular, o técnico Givanildo Oliveira deve ter três mudanças em relação à última escalação. Apenas a entrada de Alex Travassos no lugar de Gabriel Vallés na lateral-direita pode ser considerada uma alteração simples. A escalação de Léo Lima e Thiago Primão no meio de campo, não. Os dois ganharão as vagas de Wellington Cezar e William Barbio para dar mais velocidade à transição de bola e para que o time melhore na criação. João Paulo, que tem sido um dos melhores atletas do time, não perdeu sua vaga, mas foi deslocado para a ponta. Outra mudança poderia ocorrer, mas o atacante Bruno Paulo não melhorou de uma gripe e foi vetado da partida.

Adversário
Do mesmo modo que o Santa Cruz encara a partida como ares decisivos para as suas pretensões na competição, o Paraná enxerga do mesmo modo. A cinco pontos dos G4, o técnico Lisca também deseja sua equipe assumindo papel de protagonismo e afirmou que espera um grande jogo. “É um jogaço. Uma decisão. Eles estão também brigando com a gente, está muito achatado. Tudo embolado, 20, 21, 22. Quem tá um pouco mais na frente tá com 27. Para trás, 16, 17”.

Ficha do jogo

Paraná
Richard; Cristovam, Maidana, Eduardo Brock e Igor; Leandro Vilela, Gabriel Dias e João Pedro; Robson, Minho e Alemão. Técnico: Lisca. 

Santa Cruz
Julio Cesar; Alex Travassos, Jaime, Bruno Silva e Tiago Costa; Derley, Thiago Primão e Léo Lima; Andre Luis, João Paulo e Ricardo Bueno. Técnico: Givanildo Oliveira. 

Data: 29/7/2017
Estádio: Vila Capanema, em Curitiba
Horário: 16h30
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Assistentes: Pedro Jorge Santos de Araújo (AL) e Rondinelle dos Santos Tavares (AL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário