sábado, 23 de junho de 2018

Kroos faz golaço, Alemanha vence a Suécia e segue viva na Copa do Mundo


Gazeta Esportiva
A Alemanha precisou de um gol que só os craques podem fazer para se manter viva na Copa do Mundo. Depois de sair perdendo e, após ficar com um jogador a menos em campo, a atual campeã mundial viu o meio-campista Toni Kroos marcar um golaço, aos 50 minutos do segundo tempo, e consolidou uma vitória por 2 a 1 sobre a Suécia, em Sochi, neste sábado.
O resultado deixa a equipe com os mesmos três pontos dos suecos, empatados em saldo de gols e gols marcados. O México, com seis pontos, precisa apenas de um empate para assegurar sua passagem no Grupo F, enquanto os coreanos, zerados, seguem com uma mínima chance de avançar.
Na próxima rodada, os alemães fecham sua participação contra a Coreia do Sul, em duelo marcado para a quarta-feira, às 11h (de Brasília), na Arena de Kazan. Nos mesmos dia e horário, mas na cidade de Ekaterimburgo, os suecos encaram o líder México.

México vence a Coreia por 2 a 1 e chega a seis pontos no Grupo F


Com a vitória de 2 a 1 contra a Coreia do Sul, na Arena Rostov, em Rostov, o México chega a seis pontos e dá um grande passo para se classificar para a próxima fase da Copa do Mundo Rússia 2018. O time que venceu a Alemanha por 1 a 0, na primeira rodada do Grupo F, não encontrou dificuldade de vencer os coreanos neste sábado.
Coreia do Sul e México começaram a partida com muita marcação no meio de campo. Os dois times concentraram as jogadas na parte central do gramado. Diferentemente da partida contra a Alemanha, quando buscou sempre o contra-ataque, o México jogou com seus atacantes mais avançados.
Passados dez minutos de jogo, nenhum dois times em campo havia chutado a gol. Somente aos 12 minutos, em uma falta batida com a bola cruzada na área da Coreia, o atacante Chicharito Hernández cabeceia para fora do gol defendido pelo goleiro Jo Hyeon-Woo. O time coreano respondeu imediatamente. Em um contra-ataque pela esquerda a bola chega para Lee Yong, mas o chute foi bloqueado pela zaga mexicana.
Aos 20 minutos, Son recebeu livre pela direita, avançou em velocidade, fechou para o meio e na hora do chute foi bloqueado. A bola volta para o coreano que chuta e, mais uma vez é bloqueado. Aos 23 minutos, Guardado pela esquerda faz o cruzamento, mas Jang Hyun-Soo intercepta a bola com o braço e o árbitro marca o pênalti. Vela faz a cobrança no meio do gol e marca o primeiro gol do México.
Após o gol mexicano, o técnico coreano colocou mais à frente a sua linha de atacantes. Com uma marcação forte em todo o campo, os jogadores mexicanos conseguiam neutralizar as jogadas ofensivas da Coreia. Aos 38 minutos, o atacante Son é lançado por trás da zaga mexicana, ele desce em velocidade, entra na área e na hora do chute tem a bola travada pelo goleiro Ochoa.
O primeiro tempo termina aos 46 minutos, após uma cobrança de falta. A bola é lançada sobre a área, mas é neutralizada pela defesa coreana.
Segundo tempo
O segundo tempo recomeça com o time mexicano com uma postura mais defensiva, claramente buscando jogadas de contra-ataque. Os coreanos tentam jogar no campo do México. Son, o melhor jogador da Coreia, busca as jogadas de ataque.
Mas é o México que chega primeiro: Layún é lançado pelo meio, recebe livre, mas chuta para fora. Logo depois, em jogada de contra-ataque, Vela desce em velocidade e toca para Chicharito. O atacante, no entanto, chuta forte com a bola passando por cima do gol coreano.
Aos 11 minutos, foi a vez da Seleção da Coreia oferecer perigo. Pelo lardo esquerdo, Ki Sung-Yueng, após uma sobra de bola na entrada da área, chuta forte para uma boa defesa do goleiro Ochoa. Um minuto depois o México responde com Quadrado que bate direto para o gol, obrigando o goleiro Jo Hyeon-Woo fazer uma grande defesa.
Aos 17 minutos, o atacante Lee Seung-Woo entrou no lugar do volante Ju Se-Jong. A mudança feita pelo treinador Tae-Young Shin foi uma tentativa de deixar a equipe mais ofensiva. Mas, logo após a alteração na Coreia, o México faz o segundo gol com Chicharito Hernández, em uma jogada de contra-ataque, enlouquecendo a torcida mexicana em Rostov.
Osório fez a primeira mudança no time aos 25 minutos. Jesús Corona entrou no lugar de Lozano. Com 28 minutos de jogo no segundo tempo, a Seleção Mexicana passou a tocar mais a bola, atraindo os coreanos para o seu campo a fim de sair em jogadas de contra-ataque.
Aos 31 minutos, o México fez mais uma alteração. Osório colocou Giovani dos Santos no lugar de Vela. Faltando dez minutos para o término da partida, os mexicanos mantinham uma marcação firme na defesa, evitando que as chegadas do ataque coreano oferecesse perigo para o gol de Ochoa.
Até o juiz sérvio Milorad Mazic apitar o fim do jogo, os coreanos tentaram várias vezes chegar ao gol mexicano, mas eram contendidos pela zaga do México. Mas de tanto tentar, a Coreia faz o seu primeiro gol nos acréscimos, em uma jogada do craque Son, que, em um chute cruzado de perna esquerda, acerta o canto de Ochoa.
da Agência Brasil 

Bélgica goleia a Tunísia por 5 a 2 e vence pela segunda vez na Copa


Sem dificuldades, a Bélgica confirmou seu grande favoritismo e goleou e Tunísia por 5 a 2 neste sábado (23), no estádio Spartak, em Moscou, pela segunda rodada do Grupo G da Copa do Mundo. 

Com um gol logo no início do jogo, de Hazard, aos 6 minutos, a Bélgica fez ainda mais dois gols com Lukaku na primeira etapa. O centroavante do Manchester United é agora um dos artilheiros da Copa ao lado do português Cristiano Ronaldo, com 4 gols. 

A Tunísia, descontou no primeiro tempo, com Bronn, mas não teve força para segurar o forte time ofensivo da Bélgica, que amplicou no segundo tempo novamente com Hazard. Batshuayi fez ainda o 5º gol no final do jogo. 

A Bélgica tem agora 6 pontos e lidera o Grupo G, que terá ainda Inglaterra e Panamá neste domingo (24). A Tunísia, com duas derrotas, está eliminada da Copa. 

do Portal R7

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Pelo grupo do Brasil, Suíça vence a Sérvia, de virada


Em confronto disputado nesta sexta-feira (22) em Kalinigrado, a Suíça venceu a Sérvia, de virada por 2 a 1, pelo grupo E, o mesmo do Brasil. Com o resultado, a Seleção Brasileira joga pelo empate contra a Sérvia para se classificar às oitavas de final.
 
Os sérvios começaram o confronto em alta rotação e não demoraram muito abrir o placar. No primeiro lance de perigo, o goleiro Sommer conseguiu fazer grande defesa no cabeceio do atacante Mitrovic. Na segunda oportunidade, uma repetição da primeira, o camisa 9 recebeu o  cruzamento, cabeceou e venceu o goleiro suíço.



Mesmo com a vantagem, a Sérvia não diminuiu o ritmo, sabia trabalhar bem a bola e conseguia encontrar espaços para fazer as infiltrações. Do outro lado, a Suíça tentava se organizar e apertar a marcação. Principal armador do time, o meia Shaqiri procurou encontrar alguma brecha na defesa sérvia, mas sempre estava acompanhado por um adversário.

Aos poucos, a Suíça foi crescendo e ainda no 1º tempo teve uma boa oportunidade. Zuber deu passe perfeito para Seferovic, que tocou, mas o goleiro Stojkovic faz grande defesa.


Mesmo com maior posse de bola no 1º tempo, a Suíça sofreu com as jogadas perigosas da Sérvia, principalmente em finalizações de Matic e Tadic. Na segunda etapa, o panorama da partida mudou e os suíços ditaram o ritmo.

O empate não demorou a acontecer e veio em contra-ataque veloz. Shaqiri arriscou chute, a bola bateu na zaga e voltou para Xhaka, que acertou uma pancada fora da área e marcou um belo gol para o delírio da torcida suíça.

Depois do empate, a partida ficou aberta porém os suíços criavam mais e tiveram algumas boas oportunidades para chegarem a vitória. No minuto final, Shaqiri recebeu livre na frente, ganhou da marcação e só bateu na saída do goleiro.

Destak Jornal 

Nigéria vence Islândia em Volgogrado


Acostumada a conquistar resultados heroicos contra seleções mais fortes, a Islândia enfrentou a Nigéria com postura ofensiva e acabou derrotada em Volgogrado. Rápidos nos contra-ataques, os nigerianos foram pressionados no primeiro tempo, mas abriram o caminho da vitória na etapa final, com dois gols de Musa. O placar final ficou em 2 a 0 para a Nigéria. 
Foi a vitória de um futebol oportunista e contundente. Embora tivesse mais posse de bola durante a maior parte do jogo, a Islândia criava poucas chances claras de gol. Do outro lado, os nigerianos tiveram paciência para esperar o momento de atacar.
A vitória dá os primeiros 3 pontos à Nigéria, que fecha a segunda rodada em segundo lugar no grupo D. A Islândia, com um ponto e uma derrota, está em terceiro lugar no grupo, à frente da Argentina no saldo de gols. Na última rodada, a Nigéria enfrenta a Argentina e a Islândia joga contra a já classificada Croácia.

O jogo

A Islândia começou o jogo levando perigo ao goleiro nigeriano. Em uma cobrança de falta, G. Sigurdsson acertou o canto superior direito, mas Uzuho fez a defesa. A Islândia tomou a iniciativa de propor o jogo e atacar mais. As melhores chances de abrir o placar no primeiro tempo foram do time islandês. Aos 44 minutos, Finnbogason quase marcou após desviar uma bola jogada na área.
No segundo tempo, a Islândia tentou manter o ritmo ofensivo, mas levou um duro golpe logo no início. Após uma roubada de bola em contra-ataque rápido, Moses cruzou para Musa dentro da área. Ele dominou com categoria e bateu forte para o gol.
O gol animou a Nigéria. Aos 11 minutos, um chute de longe de Ndidi quase traiu o goleiro islandês, após desvio no meio do caminho. Halldorsson se esticou todo e espalmou a bola por cima do travessão. Aos 26 minutos, após cobrança de escanteio, Balogun cabeceou por cima do gol. Dois minutos depois, Musa botou a bola na trave. O ataque seguinte, porém, foi fatal: Musa entrou na área, driblou o goleiro e, com tranquilidade, ampliou para os africanos.
Aos 35 minutos, com auxílio do VAR, o árbitro de vídeo, o juiz marcou um pênalti em Finnbogasson. Era a oportunidade de diminuir o placar, mas G. Sigurdsson chutou para fora. Foi o terceiro e derradeiro golpe no ímpeto ofensivo dos vikings.
Com a derrota, a Islândia estaciona na tabela com um ponto ganho, assim como a Argentina. A Nigéria é a segunda colocada do grupo, com três pontos.
Argentinos e nigerianos se enfrentam na próxima terça-feira (26) na última rodada, em um jogo que poderá definir o classificado às oitavas de final. Uma vitória simples coloca a Nigéria na próxima fase. Já a Argentina precisará vencer e torcer para que a Islândia não vença seu jogo ou, pelo, menos vença mas fique com um saldo de gols inferior.
Da Agência Brasil 

Seleção Brasileira vence a Costa Rica por 2 a 0 pela Copa do Mundo

(Créditos: Lucas Figueiredo/CBF)

Com o espírito de luta e entrega até o final, a Seleção Brasileira alcançou a primeira vitória na Copa do Mundo FIFA 2018. Após o empate na estreia, o Brasil superou a Costa Rica nesta sexta-feira (22). No Krestovsky Stadium, em São Petersburgo, na Rússia, a Canarinho dominou os adversários e venceu por 2 a 0. Os gols brasileiros foram marcados por Coutinho e Neymar.
Com o triunfo, a Seleção chegou a quatro pontos e assumiu a liderança provisória do Grupo E. Suíça (1) e Sérvia (3) completam a segunda rodada do Grupo E. O próximo compromisso do Brasil na Copa do Mundo será contra a Sérvia, pela terceira rodada, na quarta-feira (27), às 15h (horário de Brasília), no Spartak, em Moscou.
O JOGO
De uniforme todo azul, a Seleção Brasileira entrou em campo em busca da primeira vitória no Mundial. Com maior posse de bola, o Brasil tomou a iniciativa da partida. Apesar do domínio territorial, a forte marcação do adversário segurou o ímpeto brasileiro nos primeiros minutos. Philippe Coutinho foi o primeiro a arriscar de longa distância, mas a bola passou por cima. A Costa Rica tentou responder no contra-ataque com Celso Borges, que finalizou para fora. Aos 25, Gabriel Jesus chegou a balançar as redes, mas o impedimento já havia sido assinalado. O Brasil pressionou antes do intervalo, assustou com Coutinho e Willian, mas pecou nas finalizações.
Apostando nas triangulações, a Seleção Brasileira voltou para o segundo tempo em cima da Costa Rica. A pressão foi total nos primeiros cinco minutos. Durante a blitz, Gabriel Jesus cabeceou no travessão. No rebote, Paulinho tocou para Coutinho finalizar, mas a zaga afastou o perigo. Aos 10 minutos, Neymar pegou cruzamento de primeira e obrigou grande defesa de Navas. Aos 12, foi a vez do goleiro evitar o gol de Coutinho. Aos 26 minutos, Neymar bateu colocado e tirou tinta da trave. Com maior volume de jogo, o Brasil lutou até o final e foi premiado nos acréscimos com os gols de Coutinho e Neymar já nos acréscimos.
BRASIL: Alisson; Fagner, Miranda, Thiago Silva e Marcelo; Casemiro, Paulinho (Firmino) e Philippe Coutinho; Neymar, Willian (Douglas Costa) e Gabriel Jesus (Fernandinho). Técnico: Tite.
do site da CBF

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Croácia atropela Argentina, avança e complica hermanos na Copa do Mundo


Foxsport
Depois de um empate na estreia contra a Islândia, a Argentina se complicou ainda mais na segunda rodada. Perdeu por 3 a 0 para a Croácia, nesta quinta-feira (21 de junho), em uma falha grotesca do goleiro Caballero no primeiro gol, e agora corre risco de não depende mais de si para avançar às oitavas. Por outro lado, os europeus carimbaram o passaporte para a próxima fase.
Em um jogo com domínio da Croácia, a equipe do técnico Jorge Sampaoli não conseguiu colocar em prática um bom futebol. E o estilo do comandante, marcado pelo seu time não dar o famoso 'chutão', custou caro aos hermanos. Caballero foi tentar sair jogando e errou o lançamento. Ante Rebic, que não tinha nada com isso, aproveitou a bobeira e fez o primeiro gol do triunfo croata.
Depois do tento, a Argentina se lançou ao ataque. Pela primeira vez na competição, o técnico colocou Dybala em campo, mas não conseguiu o empate. Pior. Ainda levou mais dois gols: o segundo, em um lindo chuto de Modric, e o terceiro, com Rakitic livre para empurrar a bola para as redes. E o resultado deixou a situação complicada. Veja abaixo a pontuação do grupo.
Croácia - 6P/2J
Islândia - 1P/1J(enfrenta a Nigéria e depois Croácia) 
Argentina -1P/2J
Nigéria - 0P/1J

Com ajuda do VAR, Austrália conquista empate contra a Dinamarca



E o VAR (sigla em inglês para o árbitro assistente de vídeo) entrou em ação mais uma vez em um jogo da Austrália. Na primeira rodada, contra a França, os dois gols franceses contaram com a ajuda da tecnologia. Um deles com a ajuda do VAR. Dessa vez, a Austrália foi a beneficiada.



Mas antes disso tudo, a Dinamarca saiu na frente no começo da partida. Depois de uma bela jogada de Jorgensen, que deixou a bola limpa na entrada da área, Ericksen, o grande nome dessa seleção dinamarquesa, pegou de primeira com a perna esquerda, quase um voleio, e marcou um golaço para os Danes.

E só deu Dinamarca no ataque e Austrália se segurando, sem mudar o estilo de jogo, durante dois terços do primeiro tempo. Até o VAR aparecer na partida. Após um cruzamento para a área dinamarquesa, Leckie cabeceou e a bola foi desviada após bater no braço aberto de Poulsen. Na hora, os Aussies pediram pênalti e o jogo seguiu. Alguns segundos depois, o árbitro Antonio Mateu parou o jogo e avisou que era pelo VAR com aquele já característico gesto de retângulo com as mãos.


Vídeo visto, pênalti marcado. Jedinak foi para a bola e bateu no canto direito, sem chances para Schmeichel. Esse foi o 11º pênalti marcado nessa Copa do Mundo, mais que em toda a primeira fase da Copa de 2014, quando foram marcados dez. E o quinto marcado com a ajuda do árbitro de vídeo.

Depois do gol, a Austrália foi quem tomou as rédeas da partida e teve as melhores chances de ampliar o placar. Mas a falta de pontaria dos australianos e a grande atuação do goleiro Kasper Schmeichel não deixaram que isso acontecesse. A Dinamarca até que tentou, mas não conseguia passar pela muralha verde instalada na frente da área do goleiro Ryan.

Com o empate, a Dinamarca chega aos quatro pontos no grupo C e vai pra última rodada brigando com a França pela primeira colocação. A Austrália, ainda com chances de classificação, enfrenta o Peru.

Destak Jornal 

Brasil x Costa Rica: horário, onde assistir, prováveis escalações e prévia da partida


Goal.com
Depois do empate na estreia, diante da Suíça, a Seleção Brasileira precisa voltar todas as suas forças para o confronto contra a Costa Rica, nesta sexta-feira(22), em São Petersburgo. No entanto, os costarriquenhos prometem não facilitar.
Com a derrota para a Sérvia, o time de Óscar Ramirez precisa de pelo menos um empate para seguir sonhando com a classificação para as oitavas de final. 
JOGOBrasil x Costa Rica
DATASexta-Feira, 22 de junho
HORÁRIO9h horário de Brasília

ONDE ASSISTIR

A partida será transmitida pelos canais Globo, SporTV e Fox Sports na televisão. Na internet, aqui na Goal Brasil, você acompanha TODOS os detalhes em tempo real além das estatísticas da partida.
TVTEMPO REAL
Globo, SporTV, Fox SportsGoal Brasil

ESCALAÇÕES E NOTÍCIAS DOS TIMES

Depois do empate na estreia, diante da Suíça, a Seleção Brasileira chega pressionada por um bom resultado diante da Costa Rica, confiante nas boas atuações da equipe antes da estreia na Copa, Tite decidiu manter a equipe e vai levar a campo o mesmo time que jogou a primeira partida da Copa. 
Apostando no bom desempenho defensivo, o time de Vladimir Petkovic conta também com um meio-campo de muita qualidade. Chutes de fora da área devem ser bastante utilizados para tentar surpreender o Brasil. 
A Costa Rica também deve levar a campo o mesmo time que enfrentou a Sérvia na estreia, no entanto, o atacante Campbell pode aparecer como surpresa na escalação de Óscar Ramirez.

PRÉVIA DA PARTIDA

Depois do empate na estreia, a Seleção Brasileira chega um pouco pressionada, muito mais pela atuação ruim do que pelo resultado. O time precisa confirmar que pode atuar de forma equilibrada com Marcelo, Coutinho e Neymar pelo lado esquerdo. Por outro lado, Danilo precisa aparecer mais no campo ofensivo e dar outras opções a equipe.
Nesta semana, Fred treinou normalmente e estará à disposição de Tite no banco de reservas, com isso, o treinador tem pela primeira vez todos os convocados como opção. Apesar das muitas críticas ao longo dos últimos dias, a Seleção foi recebida com festa em São Peterbusgo e terá o apoio total da torcida. 
A Costa Rica vive um momento complicado, além da derrota na estreia, a dificuldade de encarar um adversário como o Brasil, o clima esquentou esta semana. Mensagens anônimas denunciaram clima ruim no grupo, desmentido pelo técnico e pelo capitão Bryan Ruiz, no entanto, um vídeo onde dois jogadores se estranham no treinamento colocaram em dúvida as palavras das lideranças do time. Os costarriquenhos não deixaram de falar sobre o favoritismo do Brasil, mas ao mesmo tempo se mostram confiantes para a partida.

Título do tricampeonato mundial do Brasil completa 48 anos nesta quinta-feira


Gazeta press

Há 48 anos, a Seleção Brasileira de futebol conquistava o mundo pela terceira vez em sua história. No dia 21 de junho de 1970, a Canarinho entrou em campo para disputar a final da Copa do Mundo do México, no Estádio Azteca, na Cidade do México. Em duelo de bicampeões, Pelé e companhia venceram a Itália por 4 a 1 e voltaram a levantar a taça após oito anos.


O Brasil fez uma campanha brilhante naquela edição do Mundial, se tornando uma das únicas a conquistarem o título com 100% de aproveitamento. Na fase de grupos, três vitórias em três jogos. Na estreia, 4 a 1 contra a Tchecoslováquia. Contra a Inglaterra, brilhou a estrela de Jairzinho, que garantiu a vitória por 1 a 0. Fechando a primeira fase, a Amarelinha ainda bateu a Romênia por 3 a 2.

Já no mata-mata, os brasileiros encararam o Peru nas quartas de final e asseguraram a classificação com um 4 a 2 no placar. Na semifinal, a seleção verde e amarela vingou a derrota na finalíssima de 1950 e bateu o Uruguai por 3 a 1. Contra a Itália, na decisão, uma atuação de gala. No primeiro tempo, Pelé abriu o placar e Boninsegna empatou. Depois do intervalo, Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto balançaram a rede e confirmaram o tricampeonato.

O Brasil teve seis jogadores na seleção do torneio: o zagueiro Piazza; o lateral Carlos Alberto; os meias Rivellino e Gérson; além dos atacantes Jairzinho e Pelé. O penúltimo foi o vice-artilheiro da competição, com sete gols marcados, ficando atras apenas do alemão Gerd Muller, que fez 10. O camisa 10, por sua vez, foi eleito o melhor jogador do Mundial.